Cristãos desafiam o governo de Cuba para ler a Bíblia e evangelizar em público

A perseguição religiosa nos países controlados por ideologias políticas autoritárias, como em Cuba, é uma forma de tentar restringir a liberdade de consciência das pessoas, minando suas crenças ou modificando suas características. Apesar disso, os cristãos comprometidos com o Evangelho resistem e buscam maneiras de expressar sua fé abertamente.

Esse é o caso de um grupo de cristãos que decidiu ler a Bíblia publicamente na orla de Havana, capital de Cuba. O local também é chamado de “Malecón” e bastante visitado por turistas e moradores do país.

“Decidimos nos encontrar [na parte da] manhã e convidar outras igrejas da região. Mais de 10 denominações se encontraram e isso é uma grande alegria”, disse uma mulher da Igreja Evangélica de Cuba.

“Queremos que todos saibam que há pessoas aqui que acreditam em Deus e que confiam em Sua Palavra, que crescem e alimentam sua fé lendo Sua Palavra”, acrescentou a cristã.

O grupo sabe que corre risco, uma vez que há regras estritas para o funcionamento das igrejas locais. Por lidarem com o público, pregadores frequentemente são vistos como uma ameaça na ilha. Todavia, é provável que o número grande de pessoas e denominações envolvidas intimide a coerção das autoridades.

Durante o ato os cristãos aproveitaram para evangelizar os curiosos, além de comentar os textos lidos entre eles, transformando a iniciativa em um grande estudo bíblico ao ar livre em pleno território controlado pelo regime comunista.

Segundo informações do Evangelical Focus, até crianças participaram do encontro, sendo essa uma forma de “dar testemunho de uma igreja que busca a Deus através da Sua Palavra, que seguimos Seus mandamentos, é uma linda bênção”.